Pastoral Universitária UCDB Rotating Header Image

novembro 15th, 2011:

Imitemos a humildade de Zaqueu para que Senhor entre em nossa casa

“Naqueles dias, um tal Eleazar, um dos escribas mais estimados, um homem de idade já avançada, e muito digno pessoalmente, foi obrigado a abrir a boca e comer carne de porco. Mas ele, preferindo uma morte gloriosa a uma vida desonrada, dirigiu-se voluntariamente para o sacrifício” (II Mac 6,18-19).

O motivo pelo qual Eleazar foi sacrificado parece atualmente quase incompreensível, porque o cristão não observa certas regras alimentares. Mas devemos respeitar e admirar o seu comportamento: podia escapar da morte, mas não o fez, para não dar mau exemplo: “Usar desse fingimento seria indigno da nossa idade. Muitos jovens ficariam convencidos de que Eleazar, aos noventa anos, adotou as normas de vida dos estrangeiros”.

A lembrança da perseguição de Antíoco Epífanes foi considerada mais tarde pelos primeiros cristãos como um exemplo de grande generosidade e coerência da parte de muitos judeus.

Com o passar dos séculos, também os cristãos se tornaram perseguidores dos judeus, faltando com a fidelidade a Cristo: um cristão não persegue, mas protege os perseguidos. Também disso, por sorte, temos muitos exemplos, sobretudo durante a II Guerra Mundial.

Devemos, aliás, estar prontos para enfrentar a perseguição com fortaleza de ânimo mais do que sermos cúmplices dos perseguidores.

Se a primeira leitura nos apresenta a figura de um homem fiel até a morte, o evangelho de hoje, de Lucas 19,1-10, relata a aventura maravilhosa de um homem considerado pecador por todos. Trata-se de Zaqueu.

Para nós é mais fácil olharmos para ele porque também nós somos pecadores, pequenos, a ponto de não conseguirmos ver o Senhor: é preciso que Ele nos procure, que seja Ele quem decide vir à nossa casa. Então, o seu amor gratuito nos tornará capazes de um amor generoso como o de Zaqueu, talvez também heroico como o de Eleazar.

Zaqueu é o tipo do homem que busca o Senhor, mas encontra sempre algum obstáculo na sua busca. O Senhor está sempre rodeado pelas pessoas e parece que não tem nada a falar com Zaqueu.

Mas Deus sabe a hora de se aproximar de cada pessoa. Jesus encontrou-se com Zaqueu debaixo de uma árvore. Isso foi suficiente para que fosse levado à sua casa, e ali, durante um banquete, quando se fez íntimo de Jesus, Zaqueu se rendeu ao amor de Deus e se tornou digno da salvação.

Imitemos a humildade de Zaqueu, que não teve medo de se expor ao ridículo subindo numa árvore, ele, chefe dos publicanos e rico. Aproveitemos de todas as humilhações para subir e assim ver Jesus e ouvir o que Ele nos diz: “hoje, devo estar na tua casa”.

 

Hoje, a salvação entrou nesta casa”

Lucas 19,1-10

Naquele tempo:
1Jesus tinha entrado em Jericó
e estava atravessando a cidade.
2Havia ali um homem chamado Zaqueu,
que era chefe dos cobradores de impostos e muito rico.
3Zaqueu procurava ver quem era Jesus,
mas não conseguia, por causa da multidão,
pois era muito baixo.
4Então ele correu à frente
e subiu numa figueira para ver Jesus,
que devia passar por ali.
5Quando Jesus chegou ao lugar,
olhou para cima e disse:
‘Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar na tua casa.’
6Ele desceu depressa, e recebeu Jesus com alegria.
7Ao ver isso, todos começaram a murmurar, dizendo:
‘Ele foi hospedar-se na casa de um pecador!’
8Zaqueu ficou de pé, e disse ao Senhor:
‘Senhor, eu dou a metade dos meus bens aos pobres,
e se defraudei alguém, vou devolver quatro vezes mais.’
9Jesus lhe disse:
‘Hoje a salvação entrou nesta casa,
porque também este homem é um filho de Abraão.
10Com efeito, o Filho do Homem
veio procurar e salvar o que estava perdido.’


Hit Counter provided by orange county plumbing